Aditi - Gestões em TI
banner qlik new out17.png
SOLUÇÕES
GESTÃO DE TI
Implemente as melhores práticas da Gestão de TI alinhada à estratégia da sua empresa. Conheça a nossa metodologia e como a Aditi pode ajudar o seu negócio.
SAIBA MAIS
PLANEJAMENTO FINANCEIRO E ORÇAMENTO
A ADITI fornece consultoria e soluções para Planejamento, Orçamentação e Consolidação Financeira. Conheça o SYSPHERA e tenha rapidamente uma plataforma ágil e robusta para a gestão financeira.
SAIBA MAIS
BUSINESS INTELLIGENCE
A ADITI atua em consultoria e planejamento estratégico de Inteligência de Negócios. Utilizamos o QLIKVIEW, a tecnologia inovadora que assegura rápida implementação do seu Business Intelligence.
SAIBA MAIS
Revista In The Mine - ed 43 - Projetos de Tecnologia da Informação

PROJETOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Quais os fatores críticos para evitar fracassos e desperdícios na implementação 
 
Coluna mineTI - Revista Inthemine ed 43 - março 2013 - www.inthemine.com.br
por Marcelo Siffert Torres
 
Há mais de 16 anos, o “The Standish Group”  estuda projetos de TI e publica, a cada 2 anos, um relatório sobre os resultados desses projetos. O resultado é alarmante! 
 
Em 2010, 21% dos projetos falharam e foram cancelados. Outros 42% foram implementados com mudanças no escopo, atrasos, acima do custo estimado ou com menos funcionalidades e menos resultados que o prometido. Ou seja, apenas 37% foram considerados sucesso e entregaram o que fora especificado. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Fonte: The Standish Group
 
 
 
Considerando que a dependência é cada vez mais crescente com Tecnologia da Informação, com uma previsão de investimentos de aproximadamente US$ 2 trilhões em 2013, conforme a Forrester Research, a preocupação aumenta na mesma proporção. Resultados que implicam não somente no enorme valor financeiro, mas que impactam diretamente suas lideranças, a cultura da organização e por muitas vezes os planos estratégicos e resultados das empresas. Diante deste cenário, esta questão deveria ser, sem dúvida, tratada com uma das prioridades na pauta dos executivos das empresas e principalmente dos CIO, responsáveis diretos pela TI. 
 
E o que fazer então, para evitar esses fracassos e desperdícios? 
 
A primeira questão é ver os projetos como projetos de negócio e não da área de Tecnologia da Informação. Ouvimos sempre frases como  “não entendo nada de tecnologia” ou  “isso é coisa do pessoal de TI” ou “é uma pequena modificação que o pessoal da TI fará em 1 mês”. Essa é uma grande armadilha para ambos os lados: negócio e TI.  Todos precisam perceber que as transformações são tanto sobre a organização e suas operações como elas são sobre a tecnologia. Muitos desses projetos mexem com toda organização e são ligados diretamente com os objetivos de negócio, assim é imprescindível que líderes de negócio participem diretamente com a TI, pois eles que serão os responsáveis por motivar e assegurar as mudanças vindas com a aplicação da tecnologia.
 
Preparar um bom “business case” ajudará a dar essa visão e propiciará o entendimento do projeto.  Antes de se comprometer, é importante ter o consenso de que o projeto de TI é a melhor maneira de se alcançar estes objetivos. Às vezes, as organizações buscam tecnologia para resolver problemas que são realmente mais sobre o processo, competências ou até mesmo modelos de negócio.
 
Um “business case” deve constar o escopo do projeto, indicando os recursos e os investimentos necessários, e assim propiciar um bom planejamento para execução. Também deve apresentar os impactos, nortear e preparar a organização e as pessoas para as mudanças. Deve apontar os riscos potenciais e um plano para eles. Deve principalmente definir bem os benefícios para a organização, de preferência mensuráveis: ligados ao crescimento, redução de custos ou para mitigar riscos. Benefícios esses que deverão ser checados posteriormente à implementação. O propósito do  “business case” é dar todos os elementos para fundamentar a decisão pela priorização e realização do projeto.
 
Além dos pontos acima, o próprio Standish Group aponta um conjunto de fatores críticos de sucesso para projetos de TI:
Participação e apoio da alta gestão, com um patrocínio executivo bem definido. Não pode ser algo do tipo “para inglês ver”. Tem que ser ativo e influente.
Apropriação e envolvimento efetivo das áreas de negócios e dos usuários. Dispor as pessoas adequadas da organização para execução do projeto. Nada de mandar aquele profissional encostado, ultrapassado ou o estagiário para decisões futuras do negócio.
Definição de uma estrutura adequada para gerenciamento de projetos (PMO). Essa é uma competência fundamental, que irá informar e controlar o andamento do projeto. A chave é o trabalho estruturado, disciplinado e com um bom funcionamento do programa de gestão. Deve ter total autonomia para tomar decisões e resolver conflitos visando manter o projeto dentro do escopo.
Realizar um programa de Gestão de Mudanças e Comunicação, de forma a assegurar o entendimento e comprometimento de todos.  O papel da liderança aqui é fundamental.
Por fim, preparação da força de trabalho para o pós-projeto, buscando desenvolver e manter as competências necessárias.
 
Todas as ações parecem óbvias e que buscamos realmente, porém os resultados estão longe do satisfatório. 
 
Esta sucinta análise visa provocar a reflexão de todos sobre o tema, e também, por que não, tirar da área de TI o rótulo, nem sempre justo, da incapacidade de realizar e entregar projetos.
 

Av Amazonas, 491 - sala 907, Centro - CEP 30180-001 - BELO HORIZONTE - MG
Fones: +55 031 8475-3779 / +55 031 8812-8145 | contato@aditi.com.br